Secretaria de Saúde alerta para baixos estoques de vacinas contra o HPV no município

Público alvo foi ampliado temporariamente para adultos até 26 anos, o que aumenta procura pelas Unidades de Saúde
Publicado em: 30 de Agosto de 2017. Última Atualização: 31 de Agosto de 2017


A Secretaria Municipal de Saúde informa que a vacina HPV foi liberada temporariamente para pessoas de 15 a 26 anos. A decisão do Ministério da Saúde se deu em função das baixas coberturas de vacinação e à proximidade do vencimento das doses, em setembro deste ano, o que traz o risco de perda de vacinas. A nota técnica pode ser acessada na íntegra clicando AQUI.

A ampliação aconteceu no último dia 18 de agosto, quando até então a vacina era indicada apenas para meninos de 11 a 14 anos, meninas de 9 a 14 anos, pessoas com HIV e Aids de 9 a 26 anos e pacientes transplantados e oncológicos. Após o término dos estoques, a vacina volta a ser direcionada apenas ao público alvo anterior.

A secretaria destaca ainda que nas salas de vacina do município existem poucas doses e em média, 10 pessoas serão atendidas por Unidade de Saúde. Portanto, a procura pelo PSF deve acontecer o mais rápido possível com apresentação do cartão de vacina.

O esquema de vacinação muda para quem estiver dentro do novo grupo ao qual a vacina é indicada. Para a faixa etária de 15 a 26 anos, o Ministério da Saúde orienta que seja feito o esquema vacinal com três doses, com intervalo de zero, dois e seis meses. Já o público para quem a vacina já era indicada continuará recebendo as vacinas em duas doses, com seis meses de intervalo.

A vacina contra o HPV é a principal forma de prevenção contra o câncer de colo de útero, quarta maior causa de morte entre as mulheres no Brasil. Nos homens protege contra os cânceres de pênis, orofaringe e ânus. Além disso, previne mais de 98% das verrugas genitais.

 

SAIBA MAIS SOBRE O HPV

HPV é um vírus que atinge a pele e as mucosas, podendo causar verrugas ou lesões percursoras de câncer, como o câncer de colo de útero, garganta ou ânus. O nome HPV é uma sigla inglesa para "Papiloma vírus humano". Transmitido no contato pele com pele, pode ser considerado uma doença sexualmente transmissível, até porque 98% das transmissões ocorrem através do contato sexual. Diferente das outras DSTs, não é preciso haver troca de fluídos para que a transmissão ocorra: apenas o contato íntimo já ocasiona a transmissão do vírus, por isso o uso da camisinha é uma proteção muito importante.

A vacina do HPV não deve ser administrada em caso de gravidez (a vacina pode ser tomada logo após o nascimento do bebê, sob orientação do obstetra), quando se tem algum tipo de alergia aos componentes da vacina, em caso de febre ou doença aguda ou em caso de doenças como trombocitopenia - redução do número de plaquetas; problemas de coagulação sanguínea.

 




TAG's: Ampliação, temporária, faixaetária, vacina, Quadrivalente

Inicial | Voltar
Link permanente: