Inventário de Proteção ao Acervo Cultural

Publicado em: 28 de Fevereiro de 2014. Última Atualização: 24 de Novembro de 2017


Inventário Cultural: conceito e importância


O inventário é composto por estudos e pesquisas específicas para definir bens culturais que possuem valor histórico, artístico, arquitetônico, estético, ético, científico e afetivo da comunidade. Estes bens são relacionados, descritos e têm sua história contada em uma ficha. Assim pode-se conhecer melhor os bens culturais e manter viva a sua história. Em Santo Antônio do Monte existem vários bens inventariados na área urbana e rural.  

Um dos elementos fundamentais do trabalho de inventário cultural é revelar aspectos sócios culturais até então desconhecidos sobre o município. 

Na área urbana de Santo Antônio do Monte, o inventário permitiu a descrição e levantamento de informes históricos sobre acervos arquivísticos, museológicos, estruturas arquitetônicas e urbanísticas, festas, tradições e eventos e registros de história oral. As informações conseguidas já permitiram a edição de produtos diversos como cartilhas, informativos, calendários e cartões postais. 

O levantamento de bens culturais na área rural revelou um rico acervo traduzido em fazendas, capelas, cruzeiros, bens móveis diversos ligados aos modos de fazer e à religiosidade, fontes arquivísticas, técnicas e receitas e, sobretudo, narrações diversas sobre o cotidiano, a memória e as reminiscências da gente do campo. 

Tais informações possibilitam comparar formas diferentes de trabalho, de atividades econômicas, lazer, exercício da religiosidade no decorrer do tempo. Por exemplo, a diversidade das atividades agropecuárias praticadas de forma rudimentar, sendo transformadas em decorrência do êxodo rural e dos efeitos da industrialização e dessa forma, impactando a vida social dos moradores do campo. 

Os teares, as rodas de fiar, os engenhos, carros de boi, fornos a lenha, rodas d'água, moinhos, monjolos, dentre outros bens, tornam-se testemunhos de uma época que permanece viva na memória de poucas pessoas que traduzem, nos seus depoimentos, muita saudade. Estes bens também foram descritos, fotografados e tiveram sua história contada. 

Além desses elementos, deve-se citar ainda o grande número de sítios naturais, especialmente cachoeiras, listadas durante o trabalho de campo. Essa atividade proporciona um novo grupo de dados sobre a geografia, à história e a cultura local.

O conhecimento deste acervo direciona as atividades de educação patrimonial que visam à divulgação e a valorização destes bens.

Neste portal,  você encontrará a relação de bens inventariados e algumas fichas de inventário. O restante do acervo pode ser consultado, impresso, na Sede da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo no horário de 13:00 às 16:00 às terças e quintas-feiras.  Até o final de 2012, o material impresso será disponibilizado também na Biblioteca Municipal Bueno de Rivera. A cópia do inventário realizado até 2011 encontra-se no IEPHA-MG - Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais, em Belo Horizonte.

Além das fichas de inventário, as pesquisas possibilitaram a formação de um vasto arquivo fotográfico que será disponibilizado no decorrer de 2012. Dentre elas, as que estão postadas nesta página. A autoria das fotografias até 2008 é de Luciano Sena e Márcia Bernardes e , a partir desta data de Márcia Bernardes do Setor de Patrimônio Cultural da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo.

Você também pode contribuir acrescentando informações e sugerindo bens que possam ser inventariados. O email do Conselho para contato é cdmctpc@gmail.com.

Relatório de bens inventariados até 2011

O inventário na prática

Divulgação de fichas do inventário 2014

 

Divulgação de Bens Inventariados e Tombados Exercício 2017
 




TAG's: Inventário, Proteção, Acervo, Cultural

Inicial | Voltar
Link permanente: